Danos de um trabalho excessivo

O trabalho em excesso não traz nenhum tipo de vantagem nem para as empresas nem para os funcionários. O estresse continuo causado pelo trabalho pode trazer consequências serias para a saúde.

Popularmente conhecido no ramo da psicologia do trabalho, a expressão “burnout” significa esgotamento. Quando o trabalho ameaça o bem-estar do trabalhador. Para a pessoa chegar nessa fase, ela precisa desencadear vários fatores diante os serviços que ela exerce naquele ambiente que estão relacionados a:

  • Psicológico: quando a pessoa simplesmente não liga de se entregar ao estresse;
  • Social: a pressão que vem da sociedade, das exigências do trabalho, dos prazos cada vez mais curtos, das metas e das convenções sociais que nos obrigamos a cumprir;
  • Organização do trabalho: se a pessoa possui pouca liberdade no ambiente de trabalho, se sofre algum tipo de ‘bulling’, é possível que esteja submetida a um estresse enorme. É o caso de uma reestruturação do meio.

Stress at work dropping results graphic angry boss cartoon characters flat icons set abstract isolated vector illustration

 

Por ser tão pouco conhecido essa expressão, o burnout é mais sério do que podemos imaginar! Há casos de profissionais ou não profissionais serem afastados de seus serviços por causa disso. A legislação brasileira permite o afastamento do trabalho em razão de “burnout”, com direito à retirada do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) e estabilidade no emprego.

Para um profissional exausto, fica muito mais difícil cuidar de detalhes e garantir um alto nível de qualidade em relação à atividade que está executando. Os possíveis erros, aliados à atmosfera de tensão e insatisfação, podem ainda fazer eclodir conflitos, deixando o clima organizacional altamente improdutivo. Por todas estas razões, é importante que gestores de  diferentes departamentos preocupem-se em organizar as tarefas de modo a evitar a necessidade de excesso de trabalho por parte dos funcionários.

Achou interessante nosso post de hoje? Deixe seu comentário!

FONTES: Uol | Mundo carreira 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *